jusbrasil.com.br
21 de Janeiro de 2022
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça do Amapá TJ-AP - APELAÇÃO : APL 0059133-87.2015.8.03.0001 AP

há 4 anos
Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
Tribunal
Partes
M. P. DO E. DO A., F. A. R. DA S.
Julgamento
26 de Junho de 2018
Relator
Desembargador ROMMEL ARAÚJO DE OLIVEIRA
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

PENAL. APELAÇÃO. ESTUPRO DE VULNERÁVEL. NEGATIVA DE AUTORIA ISOLADA NO CONTEXTO DOS AUTOS. CRIMES CONTRA A DIGNIDADE SEXUAL. PALAVRA DA VÍTIMA. RELEVÂNCIA. MATERIALIDADE E AUTORIA COMPROVADAS. LAUDO PERICIAL INCAPAZ DE INFIRMAR A CONDENAÇÃO.

1) Nos crimes contra a dignidade sexual a palavra da vítima é tomada como elemento de convicção de acentuada relevância, preponderando sobre a do réu, desde que escorada nos demais elementos de prova dos autos. Sua valoração é inconteste quando segura e coerente.
2) O fato de o Laudo Pericial não atestar a ocorrência de ato libidinoso ou de conjunção carnal na vítima não tem o condão, por si só, de fragilizar a conclusão acerca da materialidade dos fatos descritos na denúncia e confirmados pela vítima em Juízo nem da autoria delitiva. Os delitos dessa natureza, por vezes, não deixam vestígios, sendo cometidos às ocultas, longe dos olhos de terceiros, o que, no entanto, não desnatura o ilícito penal.
3) Apelo não provido.

Acórdão

ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos os presentes autos, aCÂMARA ÚNICA DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAPÁ por unanimidade conheceu do recurso e, no mérito, pelo mesmoquorum, negou-lhe provimento, nos termos do voto proferido pelo Relator. Participaram do julgamento os Excelentíssimos SenhoresDesembargadoresGILBERTO PINHEIRO (Presidente e Revisor), ROMMEL ARAÚJO (Relator) e SUELI PINI (Vogal). Procurador de Justiça: Dr. JAIR JOSÉ DE GOUVÊA QUINTAS. Macapá, 26 de junho de 2018.
Disponível em: https://tj-ap.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/643019691/apelacao-apl-591338720158030001-ap

Informações relacionadas

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul
Jurisprudênciahá 11 anos

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul TJ-RS - Apelação-Crime : APL 70034050617 RS

Karina Cruz, Advogado
Artigoshá 4 anos

A necessidade de relativização da presunção de violência e vulnerabilidade do artigo 217-A, "caput", do Código Penal nos casos em que há consentimento do menor de quatorze anos

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 4 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL : AREsp 0042543-93.2012.8.13.0637 MG 2017/0176339-8